Google+ Followers

domingo, 13 de março de 2016

Por que Eva foi enganada pelo diabo e não Adão segundo Sto. Agostinho?



Segundo Agostinho, Eva foi a maior culpada no que tange ao primeiro pecado, chamado de pecado original. O santo doutor diz em sua obra " A Cidade de Deus" tomo II, livro décimo quarto, capítulo 11 sobre a queda do primeiro homem:

"O diabo escolheu a cobra...animal lúbrico...com o propósito de falar com sua boca...com perversidade espiritual, falou com falácia à mulher. Começou pela parte inferior da sociedade humana, para gradualmente ascender ao todo, na consciência de que o homem não seria tão facilmente crédulo e não poderia ser enganado por erro, senão acedendo ao erro alheio".
 
Em suma o doutor da Igreja afirma que:
 
1- A cobra foi escolhida por satanás para falar à mulher por sua "lubricidade": isso significa por ser "escorregadia". Essa figura corresponde a um significado; a qualidade lisa ou escorregadia da cobra remete à sensualidade, ou seja, ao apego aos sentidos, ao prazer sensível.
 
2- O diabo usou de falácia: mentiu para a mulher ao dizer que ela não morreria se comesse do fruto.
 
3- O diabo tentou a mulher devido a sua fraqueza natural e sua inclinação maior aos sentidos. A mulher é naturalmente mais sensível que o homem. Seu corpo é mais dotado de pontos capazes de sentir prazer que o do homem. O diabo a tentou com a esperança de um prazer sensível decorrente de comer o fruto; apresentou-o como saboroso.
 
4- O homem, sendo menos sensível ao estímulo do prazer, não foi por primeiro tentado pelo diabo que seria rechaçado se o fizesse.
 
Para demonstrar a superioridade da natureza masculina, mais mental, que a da mulher, mais sensual,  Santo Agostinho cita alguns exemplos da escritura como:
 
" Aarão não deu seu consentimento ao povo para a construção do ídolo, induzido ao erro, mas cedeu obrigado"
 
"nem é crível haver Salomão pensando erroneamente que se devia sacrificar aos ídolos mas foi forçado pelo COQUETISMO DE SUAS CONCUBINAS a cometer semelhantes sacrilégios".
 
Ou seja: Salomão cedeu aos encantos faceiros de suas concubinas e não por convicção mental.  Coquete significa aquilo que é "provocante, que é agradável à vista." Segundo o filósofo francês Rousseau, essa é a principal qualidade da mulher, a que lhe é mais inata: a capacidade de provocar desejo no homem através do encanto corpóreo e dos gestos sensuais.
 
Assim continua Agostinho dizendo:
 
" Assim também estamos em nosso direito ao dizer que o primeiro homem violou a lei de Deus, não porque crera na verdade aparente do que lhe dissera a mulher... mas por condescender com ela por causa do amor que os unia. Não em vão disse o apóstolo: Adão não foi enganado, por sua vez, a mulher, sim. Eva tomou por verdadeiras as palavras da serpente e Adão não quis romper o único enlace mesmo na comunhão do pecado. Nem por isso é menos culpado, pois pecou,  com ciência e consciência. Desse modo não diz o apóstolo: Não pecou", mas "Não foi enganado"...sem experiência da severidade divina julgou ele, Adão, venial o cometido, enganando-se só na apreciação da gravidade do pecado. Por isso não foi seduzido no que o foi a mulher mas errou no modo que Deus havia de julgar a escusa: "a mulher que me deste ofereceu-me e comi"
 
Agostinho deixa patenteado que Adão só pecou porque cedeu aos encantos da mulher e não por convicção racional de que o ato não fosse pecaminoso. Adão sabia se tratar de pecado mas julgou-o venial - leve. Preferindo ceder a mulher - para não perder os seus favores e o seu amor - transgrediu a lei eterna. Já a mulher pecou por ter se deixado levar pelo seu apego as aparências sensíveis; por causa dela corrompeu seu juízo julgando bom o que era mau.
 
A leitura feita pelo santo doutor permitem muitas conclusões importantes: uma é de que numa sociedade a autoridade deve estar enfeixada nas mãos dos homens, já que, como ele mesmo afirma, são os mesmos a parte superior da sociedade sendo a mulher inferior, dada a sua natureza mais sensual. Assim como a razão deve governar os sentidos os homens devem governar sobre as mulheres. Não sem razão, Nosso Senhor Jesus Cristo, instituiu sua Igreja apenas com base na autoridade de Apóstolos, ou seja de "Varões Eleitos" para governá-la. Uma sociedade que estabelece a igualdade entre os sexos - não a igualdade de dignidade, coisa cristianíssima, que significa que homem e mulher tem, cada um a seu modo, direitos e deveres e que, moralmente são iguais perante Deus - no sentido de igualdade de papéis ou de poder( onde mulheres passam a ter o poder de governar a casa ignorando ou suplantando a autoridade marital ou pior, quando mulheres, em razão de divórcios, passam ter a função de "pais de família") rumará, inevitavelmente, para a ruína.

Escrito por Rafael G. Queiroz( Professor de filosofia, história e catequista católico).

5 comentários:

  1. Entrei dia desses, como costumo fazer, na Igreja do Imaculado Coração, para rezar um pouco aos pés da imagem... alguns "fiéis" estavam rezando a Via Sacra, enquanto isso. Ao chegarem à 6ª estação (Verônica enxuga o rosto...), vem uma espécie de comentário: "Que Deus possa eliminar as diferenças existentes entre o homem e a mulher, para que tenhamos uma alternativa para construirmos um mundo melhor".... tive que me levantar e me retirar do Igreja, infelizmente.

    ResponderExcluir
  2. Você fez bem, Nereu. Claro que não podemos discriminar ninguém, pois com o trânsito dessa gente, é capaz que amanheçam apedrejando nossas janelas E nem a lei "deixa" comentarmos algo (embora eles possam fazer isso com os cidadãos normais). Da minha parte, espero que Deus não ouça ess\a "oração" (que mais parece estar-se rogando uma praga).

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. A paz irmãos. São Tiago pede que 'não tenhamos a fé em nosso Senhor Jesus Cristo' e ao mesmo tempo tenhamos 'acepção de pessoas'. Ele fala citando a diferença entre ricos e pobres, mas o ponto principal é o 'vinculo do amor' que há entre todos nós que temos a mesma vida em Cristo e somos filhos do mesmo Pai. Cristo também nos adverte a 'amar nossos inimigos e orar pelos que nos perseguem para que nos tornemos filhos do nosso Pai Celeste'. O Senhor é o reto juiz e saber o erro de cada um, contudo ele mesmo faz cair chuvas e dá o sol tanto para os justos quanto para os injustos. Nereu, ao usares a expressão irônica 'alguns "fieis"' há o perigo de se colocar como um juiz e doutor da lei. Devemos sim fazer isso, pois o apóstolo diz que julgaremos até os anjos, quanto mais os assuntos dessa vida, contudo, há o perigo de mostrarmos, no nosso julgamento, o oposto do coração de Jesus nos evangelhos. O Senhor VEIO ao mundo para BUSCAR os pecadores. Paulo em sua carta aos irmãos de Roma diz: "Quando eramos inimigos fomos reconciliados com Deus, mediante a morte do Seu Filho". em 1 João 3:16, São João nos diz que "devemos dar a vida pelos irmãos".

    Sim, de fato, a Palavra de Deus e a Igreja são claros sobre o terrível pecado implícito na expressão extremamente destituída de luz: "Que Deus possa eliminar as diferenças existentes entre o homem e a mulher." Isso certamente não vem de Deus. Não é luz nenhuma, mas é uma manifestação das trevas que tem permeado a nossa sociedade mais e mais nesses últimos dias, mesmo já esteja assim desde o início do mundo e era extremamente assim na própria época em que Jesus veio, na época do império Romano. Contudo, o próprio São Tiago nos adverte ainda que: "O juízo é sem misericordia para aquele que não usou de misericórdia" e "A misericórdia triunfa sobre o juízo." Meu clamor ao fazer esse extenso comentário é que o Senhor possa nos encher desse amor que salva, vai de encontro aos perdidos para os salvar. Uma misericórdia que não se afasta da condição humana caída e machucada (ex. Bom samaritano), pelo contrário, se aproxima para curar suas feridas. - neste caso que ocorreu, podemos primeiramente orar pedindo misericórdia ao Senhor e no nosso coração "perdoar aqueles que nos tem ofendido" como Jesus nos ensinou na oração "Pai Nosso...". Posteriormente, havendo oportunidade, poderíamos nos disponibilizar para esclarecer, com compaixão, o engano desses irmãos que ali estavam.

    É de fato um escândalo. Mas estamos aqui justamente para salvar o que está perdido. Que a misericórdia de Cristo continue nos alcançando a cada dia. A paz de Cristo!

    ResponderExcluir