Google+ Followers

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Em decisão inédita, Francisco decide reescrever a Bíblia!



Imagem relacionada



Diretamente da Cidade do Vaticano, 03 de Agosto de 2018 em #NEWSVA#. 

   Em primeira mão, noticiamos quem em breve a Congregação da Doutrina da Fé irá lançar uma nova versão da Bíblia Sagrada. A decisão inédita na história foi tomada pelo Papa Francisco que assevera "ser necessário adequar o texto bíblico aos novos tempos onde a compreensão da dignidade humana cresce, dos direitos humanos, da não violência, da paz social e da igualdade, de modo que certos trechos da sagrada escritura, que dizem respeito ao contexto cultural de uma época, não tem mais razão de ser, nem de aparecer no bojo das narrativas que são destinadas a liturgia da missa e a catequese"

   Ainda segundo o Papa, estes trechos "serão recolhidos a uma coleção de versículos a serem reunidos numa suma de antiguidades bíblicas, destinada apenas ao estudo cultural e histórico do passado da humanidade, a fim de compreender como crenças arcaicas foram sendo superadas pela evolução dos tempos". 

Os evangelhos, inclusive, serão objeto de modificações, como adiantou o Cardeal Luis Ladaria, SJ, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. Ladaria diz que " passagens nas quais Jesus fala que veio trazer a espada e o fogo serão extraídas, assim como as invectivas mais duras contra os fariseus". Ladaria explica que tais passagens, hoje, não são mais necessárias pois vivemos uma época de ecumenismo; para o Cardeal, Jesus usou tais palavras apenas por que, na época, havia uma animosidade entre seus discípulos e os judeus, coisa já superada graças ao diálogo inter-religioso com os judeus.  

Apesar de alguns protestos - isolados - de católicos mais aferrados ao passado - chamados de tradicionalistas - a maioria dos bispos apoia a decisão. Até mesmo um bispo ligado a missa tradicional se pronunciou, tentando tranquilizar os fiéis. Dom Gusmão ensina que "tais passagens nunca foram de fé divina ou mesmo objetos de declarações solenes dos papas; Jesus as usou mais como força de expressão e metáfora...é apenas uma compreensão mais aprofundada do contexto da sagrada escritura, nada mudou". Dom Gusmão ressaltou que os tradicionalistas devem se libertar das concepções do AT sobre a divindade. Segundo o mesmo "Jesus se valeu de uma linguagem didática pois o povo da época não entenderia de outro modo; logo, ele precisou se valer dos conceitos de um Deus terrível, típico do AT...mas o nosso Deus é o Deus da pura misericórdia; não tem nada mais tradicional que isso".