Google+ Followers

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Neocons e olavetes: cúmplices do assassinato de cristãos?

  




Pontifica o Oráculo da Olavosfera no texto "
URSS, a mãe do nazismo":
"[...]Todo militante ou simpatizante comunista é cúmplice moral de genocídio, tem as mãos tão sujas quanto as de qualquer nazista, deve ser denunciado em público e excluído da convivência com pessoas decentes. A alegação de ignorância, com que ainda podem tentar se eximir de culpas, é tão aceitável da parte deles quanto o foi da parte dos réus de Nuremberg. É uma vergonha para a humanidade inteira que crimes desse porte não tenham jamais sido julgados, que seus perpetradores continuem posando no cenário internacional como honrados defensores dos direitos humanos, que partidos comunistas continuem atuando livremente, que as idéias marxistas continuem sendo ensinadas como tesouros do pensamento mundial e não como as aberrações psicóticas que indiscutivelmente são. [...]"

Por questão de isonomia, adotemos o critério olaviano aplicado aos comunistas para os adeptos e simpatizantes do neoconservadorismo made in US, caso dos apoiadores da Guerra do Iraque, aquela que ceifou milhares de vidas e abriu caminho para a convulsão social que poderá levar o anticristianismo genocida do ISIS ao poder em Bagdá:
"[...]A justificativa que eles[EUA] deram[à Guerra do Iraque] é uma coisa, o que aconteceu realmente foi outra. Eu pessoalmente, depois que descobri todo aquele morticínio de presos políticos[por parte do regime de Saddam Hussein], eu comecei a achar que a guerra[para derrubá-lo] tinha sido certa. Não pelas razões que que eles alegaram, mas pelos fatos que apareceram depois, tá compreendendo?[...]Você tem que ver a longo prazo o benefício que efetivamente resultou para a humanidade.[...]O que a humanidade ganhou com isso? Ora, foi boa a invasão do Iraque? Eu não sei, o senhor também não sabe, ninguém sabe, mas tem uma pessoa que deve saber isso: os iraquianos. Pergunta para eles! 82% da opinião[pública]iraquiana acha que a situação melhorou muito.[...]"

O que se tem acima foi proferido numa mesa-redonda (ver vídeo a partir de 4min43s a 5min43s). Não lhes parece uma versão mais elaborada do velho bordão "os fins justificam os meios"? Vou além: não lhes parece que é fenômeno comparável (ainda que não necessariamente equiparável) ao descrito abaixo?


"'Mentalidade revolucionária' é o estado de espírito, permanente ou transitório, no qual um indivíduo ou grupo se crê habilitado a remoldar o conjunto da sociedade – senão a natureza humana em geral – por meio da ação política; e acredita que, como agente ou portador de um futuro melhor, está acima de todo julgamento pela humanidade presente ou passada, só tendo satisfações a prestar ao 'tribunal da História'." [v. "A mentalidade revolucionária"]

Tivesse o sr. Olavo de Carvalho um público de boa memória, com adequado tirocínio e de disposições críticas diferentes daquelas vigentes em fã-clubes e torcidas organizadas, esse público cobraria satisfações do guru. Como não é o caso, deixarão que ele coloque-se  na defesa das causas pessoalmente vantajosas do momento sem ter que dar explicação ou justificativa, e menos ainda responder pelas consequências deletérias da sua pretensa atividade de formador e informador. 


VER TAMBÉM:  É a guerra contra a Líbia uma guerra justa?

Por Victor Fernandes



2 comentários:

  1. Os fins justificam os meios? Se o meio for a guerra, sim. A guerra é, e sempre será, um meio legítimo de solução de conflitos inconciliáveis. O Olavo de Carvalho só errou ao justificar a guerra pelas conseqÜências geradas ao inimigo. E nada tem a ver com "mentalidade revolucionária" que é comprometida com o "remoldar da sociedade", por qualquer meio desde que se atinja o objetivo final, daí o "tribunal da história", que julga se você lutou pelo objetivo final ou não. Mas qual o objetivo final? Veja aqui: http://carlosliliane64.wixsite.com/magiaeseriados

    ResponderExcluir
  2. E o que dizer do apoio da delirante direita neocon sionista brasuca ao apoiar Trump, que assinou com alegria um acordo de 100 bilhões de dólares em equipamentos bélicos para a "democrática e cristã" Arábia Saudita?
    Só um cego não vê que Trump é um Bush 2.0!
    Até os conservadores WASP's que estavam no governo Trump já estão saindo fora...

    ResponderExcluir