Google+ Followers

quinta-feira, 18 de maio de 2017

MBL a serviço de Israel


Resultado de imagem para mbl movimento
Sob o mote de, Fora Dilma, Fora PT, combate à corrupção,  o MBL vai trabalhando pela escravização do Brasil aos interesses judaicos



Não é de hoje que falamos da associação espúria entre neodireita, sionismo e maçonaria. Pois bem: o MBL vai realizar o evento "Passando o Brasil a Limpo",  efetivado - pasmem - pela Associação Sionista Brasil Israel! 




A pergunta que fica é: como o MBL pode se apresentar como um movimento que defende a liberdade do Brasil se está associado ao sionismo, que tem um projeto de poder universal, onde todas as nações ficarão sob a batuta de Israel, que é visto, dentro da ideologia sionista, como o Estado Redentor, como o Messias da Humanidade? 

A associação sionista Brasil Israel, em sua página de facebook, deixa claro qual seu objetivo: 



Eles apoiam Israel - incondicionalmente. Ou seja, se houver conflito entre o interesse brasileiro e o de Israel, eles ficarão ao lado de Israel. É esta associação a que o MBL - que diz trabalhar pela libertação do Brasil - se vincula. O que falta para perceber que o MBL está - como toda a neodireita - a serviço de interesses estrangeiros? 

É preciso entender que os judeus agem no mundo em dois pólos opostos, que completam sua obra de desagregação das sociedades. O judeu Eberlin o reconhece na pág. 51 de seu livro  “Les Juifs d’Aujourd’hui”, edição Rider, Paris, 1927: “O cosmopolitismo do agiota torna-se o internacionalismo proletário e revolucionário”. Diz Bernard Lazare que a “alma do judeu é dupla; dum lado é o fundador do capitalismo industrial, financeiro, agiota e especulador, colaborando para a centralização dos capitais destinada a destruir a propriedade, a proletarizar os povos e a criar a socialização; do outro, combate o capitalismo em nome do socialismo, isto é, da socialização total.” Pelos dois lados, os judeus atingem o mesmo fim. Assim, Trotski e Rothschild “marcam as oscilações do pêndulo judaico”. O plano está claramente delineado mas esse despistamento é realizado sobretudo pela imprensa. Basta reparar como certos jornais em consórcio ou associados manobram ou manipulam a opinião pública em sentidos diversos, quando sua direção geral é única.

Logo senhores que fique claro de uma vez: Escola sem partido, MBL, olavetismo, etc, são modos de ser do mesmo poder judaico que vem se valendo da nova direita no Brasil para impor um culto à Israel e a seus interesses aqui dentro. 

4 comentários:

  1. Resumindo:

    - A direita americanizada brasileira apoia o globalismo judaico
    - A esquerda cubanizada apoia o globalismo islâmico

    ResponderExcluir
  2. Resumindo:

    - A direita americanizada brasileira apoia o globalismo judaico
    - A esquerda cubanizada brasileira apoia o globalismo islâmico

    ResponderExcluir
  3. Não consigo acreditar que esses jovens tenham ciência do que vêm fazendo!...

    ResponderExcluir