Google+ Followers

terça-feira, 12 de março de 2013

Judaísmo : o inimigo da civilização católica !


Os judeus são inimigos naturais da Cristandade.Eles rejeitam Cristo negando que ele seja o Messias.Estão portanto a espera de um salvador.Por isso receberão de braços abertos o Anticristo e trabalharão por ele.

















  Dando uma analisada nas mais diversas e importantes heresias que atacaram a doutrina católica nos dois mil anos de Igreja vemos o seguinte  :

 1- Gnosticismo : influencia judaica ;

 2-Arianismo : influencia judaica ;

 3-Movimento Iconoclasta : influencia judaica;

 4-Protestantismo : influencia judaica ;

 5-Maçonaria : influencia judaica ; 

6-liberalismo : influencia judaica; 

7-comunismo : influencia judaica;

 8-laicismo : influencia judaica ;

 9-americanismo : influencia judaica.

Quase todas as heresias que a Igreja Católica enfrentou na história são filhas diretas ou indiretas dos judeus....será coincidência apenas ???

Vejamos.Não há qualquer dúvida que, desde os tempos do retorno do exílio de Babilônia, especialmente após a invasão grega da Palestina, difundiram-se entre os escribas, doutores da Lei e Rabinos idéias orientais que constituíram a origem do gnosticismo.Há historiadores inclusive que admitem que antes mesmo do exílio já havia entre os hebreus uma religião esotérica baseada na idéia de que a escritura tinha uma interpretação externa -pública e outra dirigida a iniciados.É importante salientar também ser tese, aceita entre os estudiosos da questão, que essas idéias gnósticas e esotéricas existiam, entre os rabinos fariseus, nos tempos de Cristo e que elas influenciaram as seitas gnósticas cristãs dos dois primeiros séculos de nossa era.

Há diversos historiadores que ,sem negar influências posteriores a gnose, são categóricos ao dizer que foi entre os judeus que ela nasceu.

Por que nossa insistência na gnose ? Por que ela embora não tenha a sido a base exclusiva de todas as heresias  foi a da maior parte delas.Eric Voegelin afirma que a os movimentos políticos modernos ( liberalismo , americanismo , comunismo , etc) são filhos do gnosticismo.

Entendendo a ligação entre gnose e judaísmo fica claro que existe também uma conexão entre os judeus e as conspirações e movimentos que ao longa da história seja fora ou dentro da Igreja Católica trabalharam ou trabalham pela sua destruição ou transformação. 

Nos séculos 18-19 os judeus estiveram diretamente ligados aos movimentos de revolução liberal e social que visavam quebrar a autoridade da Igreja.A elite intelectual judaica via um elo entre o racionalismo judaico e as revoluções liberalizantes e a filosofia alemã ( o idealismo alemão de Kant , Hegel , de inspiração antimetafísica , imanentista e no caso de Hegel panteísta- esse idealismo foi a base do modernismo , heresia condenada por São PIO X na Pascendi em 1907).Tais judeus constumavam ver no idealismo alemão a solução para todos os problemas humanos e sociais.Hermann Cohen (1842-1918) , professor judeu , afirmava que a religião judaica foi a precursora da religião da razão( leia-se doutrina maçônica ) inaugurada pelos pensadores iluministas.Cabe lembrar que Essa religião da razão criou uma nova visão sobre Cristo : Jesus seria apenas um filósofo ético, um humanista , e o cristianismo apenas um conjunto de valores morais e não uma religião dogmática.O cristianismo nesse visão seria apenas uma doutrina da liberdade e da igualdade entre os homens.

EUA e GRÃ BRETANHA , representam os interesses judaicos

A elite judaica no século 19 irá trabalhar para transpor tais máximas pseudo-filosóficas para o campo social e político.Um desses esforços será identificar esse fundo ético liberal e igualitário com a civilização americana ( EUA ).E identificando isso aos EUA identificar isso ao cristianismo.Logo depois caberia extrair daí a conclusão de que o Catolicismo Romano ,por ser contrario as liberdades e igualdades modernas , representa a máxima corrupção da doutrina de Cristo.

Um dos impactos internos dessa ideologia judaico-protestante norte americana( Os judeus encontraram nos EUA do século 19 amplo espaço para imigrar e explorar a terra e as oportunidades de negócios no país, movimentado pela industrialização pós guerra de secessão e pela expansão para o Oeste, constituindo uma verdadeira simbiose com a sociedade protestante local ; gozavam de ampla liberdade de culto e pensamento dado o laicismo da consituição americana que dava total direito de existência as mais variadas seitas protestantes que fervilhavam no país.) foi o nascimento no seio católico dos EUA do americanismo.

A carta apostólica Testem benevolentiae denunciava os principais erros do americanismo, que se sintetizam na presumida necessidade de:
a - adaptar a Igreja às exigências da civilização moderna, sacrificando um ou outro cânon antigo, mitigando a antiga severidade, orientando-se em direção a um modo de agir mais democrático;

b - dar mais amplidão à liberdade individual no pensamento e na ação, levando em conta que é o Espírito Santo, mais do que a organização hierárquica, quem opera diretamente na consciência do indivíduo (influxo do protestantismo):

c - abandonar, sem preocupar-se mais com elas, as virtudes passivas (mortificação, penitências, obediência, contemplação), cultivando as virtudes ativas (ação, apostolado, organização), o que levaria a favorecer, entre as congregações religiosas, as de vida ativa. 
O termo “catolicismo americano” ou ”americanismo” não era rótulo de um cisma ou de uma heresia, era, como ensinava Mons. Delassus, ”um conjunto de tendências doutrinais e práticas que têm sua sede na América e que se difundem a partir dali por todo o mundo cristão, especialmente pela Europa”  com o objetivo de debilitar, e se possível, aniquilar as nações católicas” dando hegemonia às protestantes, como América, Alemanha e Grã-Bretanha” . Um dos ”elementos distintivos da “missão americana” é o retorno à unidade de todas as religiões através da destruição das barreiras e das diferenças, chegando até à celebração de um congresso com o seguinte tema: a tolerância internacional das religiões para a luta unida contra o ateísmo” . O indiferentismo ou tolerância por princípio (isto é, tolerância dogmática) para o qual tende o americanismo consiste em equiparar “todas as religiões como igualmente boas” 
O interesse dos judeus em tudo isso é claro : numa época em que os Papas lutavam contra as liberdades modernas que amaeçavam destruir a civilização católica retirando da Igreja o sadio influxo cultural sobre a direção da sociedade  para Deus e sua Lei Eterna , era importante para os judeus defenderem com unhas e dentes um regime - como o americano- que lhes daria amplo espaço para impor suas ideias anticatólicas e para se tornarem uma elite social ,econômica e política que era-lhes impossível em um regime católico onde eram presas de várias proibições e onde lhes era exigida a conversão para que gozassem de amplos direitos.
O papel dos judeus em destruir os elementos da tradição católica do ocidente foi muito além da política.Eles também atentaram contra a tradição musical para , por meio dela impor novas mentalidades e costumes.Em fins do século 19 os judeus estiveram por trás de inovações na música que prepararam o terreno para a degradação musical do século 20 e 21.Na Áustria e na Alemanha a ação de compositores judeus provocou mudanças gerais seja na ordem interna do estilo musical seja na relação entre compositor e público que se tornou patológica( isso deu origem as explosões histéricas de fãs na sua relação com o  músico- o que fica patente nos shows de rock e pop rock atuais).Mahler , musicista judeu , nomeado para a direção da ópera da corte de Viena em 1897, por conta de sua mentalidade antitradicional em música teve que se refugiar em Nova Iorque( capital dos judeus financistas) dez anos depois.Shonberg seu discípulo em 1909 , no seu Opus 11 número 1 , executado em Viena ele dispensou completamente a tonalidade tradicional da musica clássica.Leon Baskt , outro musico judeu , injetou nos Ballets a sensualidade , rompendo tabus.Em 1910 ele criou Scheherazade , o maior sucesso dos Ballets Russos , com um harém de belas mulheres entregando-se a uma orgia de sexo a homens negros e musculosos, terminando num banho de sangue e de vingança( Os ballets de Baskt lembram os contos do Marques de Sade ).Esse foi o maior choque cultural daquele período.Os principais artistas judeus do início do século 20 eram modernistas e buscavam derrubar os padrões classicos e religiosos da civilização ocidental.
Enquanto iniciava-se em Roma o concílio Vaticano l em 29 de junho de 1869, celebrava-se em Leipzig um concílio judaico para afirmar que “a realização dos princípios da modernidade é a maior garantia para o presente e o futuro do judaísmo”.
É certo que os judeus estavam em fins do século 19 e início do 20 tencionando atacar o legado cultural católico.E isso terá terríveis consequencias para nosso tempo;uma clara amostra da rendição católico -romana, mesmo que pequena e muito limitada, é usar a expressão civilização " judaico-cristã ".Não existe uma civilização judaico- cristã mas uma civilização moderna amplamente moldada pelo judaísmo que vai perdendo a cada dia mais sua substância cristã.
 O Cristianismo é a superação do judaísmo não sua continuidade.Esse negócio de cultura Judaico - Cristã é uma armadilha mental criada nos EUA do século 19 , obra de maçons interessados em destruir a substancia do dogma cristão no Ocidente.Os americanistas acreditavam numa sociedade plural onde a fé cristã não teria influência publica mas sobreviveria apenas sua moralidade natural como base da sociedade democrática.Em suma os americanistas viam Jesus apenas como um filósofo moral e sua doutrina apenas como uma moral natural eficaz para influenciar a sociedade na busca do progresso e da prosperidade pública.Isso são os EUA : um dos modelos do regime futuro do Anticristo , ou seja , nos Eua vive a ideia de um messianismo humano do progresso, o homem redimindo a si mesmo pelos esforços econômicos, e Cristo apenas como imagem desse ideal de perfeição natural do homem.O Anticristo é aquele que buscará realizar sociologicamente a salvação do homem.Outra faceta do futuro regime do Anticristo é o comunismo( outra obra de judeus ) como redenção do homem pela política.A forma futura desse regime procurará reunir em si as utopias econômicas e políticas numa fusão das forças comunistas e liberais contra o que restou da cristandade.E nesse processo EUA e Rússia terão papel cabal.E os judeus idem.

Voltaremos ao assunto!
 
 

2 comentários:

  1. E como fica agora com o novo Papa que é super ecumênico a ponto de receber, quando Cardeal, benção de joelhos de um pastor pentecostal? E participava de encontros ecumênicos e até ritos judaicos?

    Final dos tempos....

    ResponderExcluir
  2. kkkk...
    Vc foi muito infeliz nesse artigo, demonstrando total falta de conhecimento.
    Conteste isto:
    Assim diz o Senhor dos Exércitos: Ainda sucederá que virão os povos e os habitantes de muitas cidades.
    E os habitantes de uma cidade irão à outra, dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do Senhor, e buscar o Senhor dos Exércitos; eu também irei.
    Assim virão muitos povos e poderosas nações, a buscar em Jerusalém ao Senhor dos Exércitos, e a suplicar o favor do Senhor.
    Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.

    Zacarias 8:20-23

    ResponderExcluir