Google+ Followers

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Que dizer da Renúncia de Bento XVI ?

Caros procuramos durante estes dias que seguem assimilare entender a renúncia do Santo Padre.Confesso porém que ainda não entendi.Evidentemente há que distinguir um comunicado oficial marcadamente voltado para atender ao público da realidade privativa muito mais rica em detalhes que um simples comunicado feito pelo Pontífice.É práxis da Igreja preservar informações que dizem respeito a sua vida interna; aliás essa praxe é seguida até por governos , empresas , partidos , etc.Não nos espantemos portanto que nem tudo tenha sido dito pelo Santo Padre quando expõs o motivo de sua renúncia.

Consideramos que o motivo de saúde , alegado como razão da renúnica ,  é real; de fato há provas de que o papa está debilitado fisicamente.Não é o caso de por em dúvida isto, mas de entender que existem para além desse, outros motivos para a renúncia.

Temos que respeitar a decisão do Papa mas cremos que, se ele tivesse apoio da grande maioria dos Cardeais em Roma não teria renunciado.Bento XVI enfrenta graves problemas para governar a Barca da Igreja.Basta que analisemos o impacto de seu Motu Prorpio referente a liberação da missa na forma tradicional, a chamada missa tridentina.Bispos pelo mundo inteiro se opuseram a que tal decisão do Santo Padre fosse colocada em prática.Em suma : há um cisma silencioso na Igreja. Há certamente hoje na Igreja   cardeais conservadores descontentes com os excessos da ala progressista mas a cúria não é constituída somente deles ; há também na cúria muitos liberais ou semiliberais.Infelizmente as nomeações durante o pontificado de Bento XVI embora tenham tendido a fortalecer as posições dos conservadores acabou, por uma questão de política interna , tendo que contentar a ala mais a esquerda com nomeações como a de Dom Muller , Dom João Braz de Avis , etc.O lobby progressista foi quem possibilitou que mesmo em um pontificado mais conservador fosse possível o reconhecimento pontificio dado a Canção Nova[ sem a correção de seus gravissimos erros ], a liceidade a liturgia do neocatecumenato[ novamente sem a correção dos desvios doutrinais- litúrgicos e pastorais do movimento] , e nomeações episcopais de clérigos mais a esquerda ; isso também determinou que Bento XVI não fosse capaz de fazer valer sua vontade no caso FSSPX ,  que subscrevesse um documento que defendia a autoridade mundial laica, que reconvocasse o encontro de Assis [ embora realizado com muito mais sobriedade que o primeiro], etc.Creio que Bento XVI tenha querido fazer algo mas acabou tendo que ceder as forças progressistas ou semiprogressistas;sua situação não era fácil e é dificil avaliar até que ponto podia confrontar tais forças.

O Papa então teria renunciado por que viu-se sem condições de resolver esses impasses ? É uma hipótese plausível. Reinaldo Azevedo , jornalista da Veja , aduz que Bento XVI poderia ter renunciado antes de morrer para preparar um sucessor capaz de impedir que "o sucessor de Bento 16 abrace a plataforma do sonho dos laicistas ou “progressistas”, que, para triunfo da lógica (embora tentem fingir o contrário), não têm uma plataforma para fortalecer a Igreja, mas para destruí-la, certo? Se a Santa Madre adere à plataforma que muita gente pretende modernizadora, a instituição ficaria mais próxima, deixem-me ver, das alas mais à esquerda do Partido Democrata".É outra hipóstese plausivel: um Papa que renuncia para influenciar o conclave e impedir que seu sucessor imponha uma agenda liberal a Igreja como fez outrora Paulo VI.Reinaldo ainda admite que "Seu sucessor vai dizer se a renúncia foi o último gesto do cardeal de pulso firme — é a minha aposta — ou se deixa o Pontificado porque incapaz de conciliar as várias correntes da Igreja."

A respeito dessa questão da dificuldade de governar a Barca o jornalista intaliano especializado em Santa Sé , Antonio Socci , diz que "Nós, no entanto, podemos e devemos observar que quase todos os papas precedentes envelheceram e permaneceram no cargo, embora com forças reduzidas, governando através de seus colaboradores.Pode-se então levantar a hipótese que Bento XVI não tenha feito esta escolha por julgar não ter colaboradores à altura desta tarefa (com a sua renúncia, decaem os cargos mais importantes da cúria).Pode-se claramente dizer que Bento XVI foi um grande pontífice e que o seu pontificado foi – ao menos em parte – dificultado por uma Cúria que não estava à sua altura, mas também pela escassa sintonia com o Papa por parte do episcopado.Joseph Ratzinger, que confirma ser um papa extraordinário também com esta sua saída de cena, certamente carregou a cruz do ministério petrino sofrendo muito e dando tudo de si mesmo(não lhe faltaram nem incompreensões, nem desprezo).Foi uma pena verificar que o seu esplêndido magistério muitas vezes não foi escutado."
 Cremos que Socci tem razão sobretudo quando diz que um Papa não precisa do vigor fisico para governar.O Papa é uma autoridade religiosa; como bem diz Ortega y Gasset , filósofo espanhol , ter autoridade é poder sentar-se.Ou seja a  qualidade da autoridade de alguma pessoa se mede justamente pela capacidade de mandar sem precisar impor-se pela força.E evidentemente Bento XVI não foi obedecido nestes anos de seu pontificado o que aponta para uma terrível crise de autoridade dentro da Igreja Católica.Basta pensarmos em termos de Brasil.O Papa fez várias referências a necessidade de um liturgia mais digna , sem os conhecidos abusos presentes nas dioceses , paróquias e comunidades católicas espalhadas pelo Brasil.Suas exortações foram palavras lançadas ao deserto.Bispos e padres em sua maioria ignoraram as diretivas de Bento XVI em matéria litúrgica.
Termino essa reflexão citando o último trecho do artigo de Socci muito esclarecedor:
"para todos é evidente que o papado, já faz três séculos, tornou-se um lugar de martírio branco, da mesma forma com que, nos primeiros séculos, significava certamente o martírio de sangue.De fato, os tempos modernos se abriram com um outro evento místico acontecido com o papa Leão XIII, o papa da "questão social" e da "Rerum novarum". No dia 13 de outubro de 1884 (13 de outubro é também o dia do milagre do sol em Fátima) o pontífice teve uma visão durante a celebração eucarística.Ficou chocado e abalado. O pontífice explicou que dizia respeito ao futuro da Igreja. Revelou que Satanás, nos cem anos seguintes, chegaria ao cume de seu poder e que faria de tudo para destruir a Igreja."
Rezemos e nos moritifiquemos para que a Santa Igreja de Deus na Terra vença os seus inimigos.



5 comentários:

  1. Salve Maria Santíssima"

    Isso mesmo, Rafael!

    Estou de acordo, há uma crise interna dentro da Cúria Romana, há uma apostasia dentro da Igreja, há um estado anárquico instalado dentro da Santa Sé, uma crise sem precedentes e que sofremos todos nós e quem mais sente esse sofrimento, quem mais sofre essa paixão é o Nosso Senho Jesus Cristo seu fundador.

    Rezemos pela Santa Madre Igreja Una Santa Católica Apostólica Romana!

    Altimar da Silva

    ResponderExcluir
  2. Não haverá nenhum triunfo histórico da Igreja, no sentido de um progresso ascendente. Isso está no próprio Catecismo atual promulgado por Sua Santidade, o Papa João Paulo II.

    P.91.8 Última provação da Igreja

    §675 Antes do advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final que abalar a fé de muitos crentes. A perseguição que acompanha a peregrinação dela na terra" desvendará o "mistério de iniquidade" sob a forma de uma impostura religiosa que há de trazer aos homens uma solução aparente a seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A impostura religiosa suprema é a do Anticristo, isto é, a de um pseudo-messianismo em que o homem glorifica a si mesmo em lugar de Deus e de seu Messias que veio na carne.

    §677 A Igreja só entrará na glória do Reino por meio desta derradeira Páscoa, em que seguirá seu Senhor em sua Morte e Ressurreição. Portanto, o Reino não se realizará por um triunfo histórico da Igreja segundo um progresso ascendente, mas por uma vitória de Deus sobre o desencadeamento último do mal, que fará sua Esposa descer do Céu. O triunfo de Deus sobre a revolta do mal assumirá a forma do Juízo Final depois do derradeiro abalo cósmico deste mundo que passa.

    ResponderExcluir
  3. Mensagem de Nossa Senhora ao Padre Stefano Gobbi, fundador do Movimento Sacerdotal Mariano. O seu livro, possui IMPRIMATUR do Cardeal Arcebispo Bernardino Echeverría. Inumeráveis leigos, Padres, Bispos e até alguns Cardeais viveram a espiritualidade do Movimento Sacerdotal Mariano, estudaram as mensagens e participaram dos Cenáculos, fazendo o ato de consagração ao Coração Imaculado de Maria (FOTOS), que possui aprovação eclesiástica.

    As mensagens eram passadas ao Padre em forma de locução interior, um fenômeno místico que já ocorreu com outros místicos e Santos da Igreja.

    Mensagem do dia 13 de maio de 1990, Fátima, Portugal:

    “A humanidade não acolheu o meu materno convite para retornar ao Senhor, pela estrada da conversão do coração, da oração e da penitência. Assim, conheceu os anos terríveis da segunda guerra mundial, que acarretou dezenas de milhões de mortos, vastas destruições de povos e nações. A Rússia não me foi consagrada pelo Papa, com todos os Bispos, e assim não recebeu a graça da conversão e difundiu os seus erros por todas as partes do mundo, provocando guerras, violências, revoluções sangrentas, perseguições à Igreja e ao Santo Padre.

    Satanás foi o dominador incontrastado dos acontecimentos deste vosso século, levando a humanidade inteira à rejeição de Deus e Sua Lei de amor, difundindo por toda a parte divisão, ódio, imoralidade e maldade, e fazendo legitimar em toda a parte o divórcio, o aborto, a obscenidade e a homossexualidade, o recurso a todos os meios para impedir a vida.

    Eu desço do Céus para que os últimos segredos vos sejam revelados e para que eu possa preparar-vos a tudo quanto agora deveis viver para a purificação da terra. O meu terceiro segredo, que aqui dei a conhecer às três crianças a quem apareci, e que até agora ainda não vos foi revelado, tornar-se-á MANIFESTO A TODOS PELO PRÓPRIO DESENROLAR DOS ACONTECIMENTOS.

    A Igreja conhecerá a hora de sua maior APOSTASIA, o homem iníquo introduzir-se-á no seu interior e SENTAR-SE-Á NO PRÓPRIO TEMPLO DE DEUS, enquanto o PEQUENO RESTO, que permanecerá fiel, será submetido às maiores provas e perseguições.

    A humanidade viverá o momento do seu grande castigo e será, assim, preparada a receber o Senhor Jesus que voltará a vós na glória”.

    Para que ninguém diga que isso não coaduna com a doutrina católica, essa mensagem ao Padre Gobbi está em sintonia com a profecia do Papa Paulo VI e com o ensinamento do Catecismo da Igreja Católica promulgado pelo Papa João Paulo II, como citado acima, o qual ensina que NÃO HAVERÁ nenhum progresso ascendente na Igreja, e sim uma IMPOSTURA RELIGIOSA do Anticristo, com uma vitória final de Deus sobre o “desencadeamento último do mal”.

    Cito o Papa Paulo VI:

    Paulo VI (ao mesmo amigo Jean Guitton em 08/09/77): “ Neste momento há na Igreja uma GRANDE INQUIETAÇÃO. E o que está em questão é a Fé! O que me perturba quando considero o mundo católico, é que, DENTRO DO CATOLICISMO, algumas vezes, parece PREDOMINAR UM PENSAMENTO NÃO CATÓLICO; e pode acontecer que este pensamento não católico, DENTRO DO CATOLICISMO, AMANHÃ SEJA UMA FORÇA MAIOR NA IGREJA”. É PRECISO QUE SUBSISTA UM PEQUENO REBANHO, por menor que seja”.

    ResponderExcluir
  4. Enfim, ainda que o próximo Papa não seja um impostor, certo é que não haverá triunfo histórico algum. Não haverá "progresso ascendente da Igreja". Haverá uma "vitória de Deus sobre o desencadeamento último do mal", como diz o Catecismo. Isso tudo está de acordo também com a Escritura, mormente as Cartas de São Paulo acerca da grande apostasia do final dos tempos.

    Sim, isso tudo é muito apocalíptico. Mas e quem disse que não podemos estar vivendo ele?

    Inclusive, ao Padre Gobbi, Nossa Senhora revelou os três personagens do Apocalipse de São João que estão atuando em nossos tempos.

    Conforme revelado por Nossa Senhora ao Padre Gobbi, três “personagens” do Apocalipse de São João atuam em nossos tempos, além da “mulher vestida de sol com a lua debaixo dos céus e sob a cabeça uma coroa de doze estrelas” (Nossa Senhora mesma).

    Grande Dragão VERMELHO = comunismo ateu. Por isso “vermelho”, símbolo do comunismo.

    Besta negra = maçonaria com seus princípios liberais e seu racionalismo destruidor da Fé.

    Besta negra semelhante a um Cordeiro = maçonaria eclesiástica. Por isso o termo “semelhante a um cordeiro", já que o cordeiro, na Escritura, é símbolo de Cristo, o “cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo”.

    Coincidência ou não, são os grandes inimigos da Igreja nos últimos tempos e que se infiltraram em seu interior.

    ResponderExcluir
  5. Acima eu escrevi "lua debaixo dos céus". Leia-se: "lua debaixo dos pés".

    Abraços.

    ResponderExcluir